Inteligência emocional é uma característica muito necessária no ambiente de trabalho, especialmente em situações que exigem alguma mudança, seja de diretoria, cargo ou de algum processo interno. Saber lidar com as emoções — suas e das pessoas ao seu redor — contribui para a resolução dos problemas que surgem durante o expediente e também para negociar demandas com os colegas de trabalho.

Felizmente, é possível desenvolver cada vez mais essa habilidade. Abaixo, apresentamos algumas atitudes que podem ser tomadas por quem deseja aprimorar essa característica e saber com mais clareza o que fazer em tempos de transformação. Já dizia minha avó Zilda: inteligência emocional e canja de galinha não fazem mal a ninguém, não é mesmo?

Reconhecer a zona de conforto

É difícil se desafiar a fazer algo novo porque a tentação de ficar na situação atual — e, com isso, não precisar se esforçar para se ajustar a um momento diferente — costuma ser bem grande. Mas, a longo prazo, esse hábito pode ser bastante prejudicial para a vida, já que se recusar a mudar qualquer aspecto da vida pode tornar a pessoa mais rígida e inflexível.

Pessoas emocionalmente inteligentes também estão sujeitas a passarem por essa situação, com a diferença de que elas reconhecem o que está acontecendo e o comportamento que elas estão adotando. E esse é o primeiro passo para conseguir se adaptar às mudanças que ocorrem na vida. Se conhecer — o que te irrita, o que te motiva e a forma como você lida com o novo — é essencial para entender o porquê você se encontra na zona de conforto e se é necessário fazer um esforço extra para sair dela.

zona conforto

Identificar suas emoções negativas

A mudança desperta sentimentos bem distintos no nosso emocional, como animação e ansiedade. Enquanto a animação costuma gerar comportamentos positivos, o mesmo não pode ser dito sobre a ansiedade; se esse sentimento não for gerenciado da forma correta, o processo de transformação pode se tornar muito mais penoso.

Por isso é importante reconhecer suas emoções, principalmente as negativas: assim, você consegue lidar de maneira um pouco mais racional com elas. Entender o porquê você sente triste ou desconforto ao se deparar com o novo é pré-requisito para gerenciar e passar por essa nova fase com sucesso.

Diferentes opiniões

Ao invés de insistir em uma única solução e não "olhar para o lado", pessoas emocionalmente inteligentes entendem que seu próprio ponto de vista é meramente isso: um ponto de vista, e que podem existir outras maneiras — algumas, até melhores do que a imaginada — de se chegar à mesma solução.

Considerar outras realidades é uma atitude importante para se adaptar a novas idéias, incluindo aquelas que podem ser totalmente contrárias ao que você acredita. Se tornar mais flexível exige abordar iniciativas não testadas com uma mente aberta e uma vontade de assumir riscos. Em vez de lidar de forma mais resistente a novas ideias dadas durante reuniões de trabalho, as pessoas emocionalmente inteligentes se mostram abertas a ouvir a opinião do outro e, quando ela de fato é melhor, a adotam como novo plano.

grupo

Entender linguagens corporais

Em qualquer mudança, é provável que haja alguma resistência que, se não for lidada de forma correta, possa vir a sabotar todo o processo de transformação. Algumas pessoas podem até querer passar a impressão de que estão abertas a novas ideias, mas na verdade agem de forma completamente oposta.

Pessoas emocionalmente inteligentes compreendem intuitivamente como a pressão do grupo pode obrigar os outros a não expressarem suas dúvidas. Então, elas tentam prever em quais momentos uma dúvida pode não ser apresentada e pensam em soluções que ajudem os outros a expor temas mais desconfortáveis.

Para saber em qual momento é preciso intervier em um assunto, é importante ter um certo conhecimento em linguagens não-verbais . De início pode parecer uma habilidade estranha para se desenvolver, mas fazer um esforço consciente e começar a “interpretar” a linguagem verbal dos seus colegas pode te ajudar a entender como eles realmente se sentem sobre uma ideia ou sugestão de projeto.

via GIPHY

Adotar essa postura não apenas agilizará sua própria inteligência emocional, mas também ajudará a conquistar o apoio de seus colegas para que todos possam se adaptar às novas circunstâncias.

Calma com os contratempos

Qualquer pessoa que tenta ser bem-sucedida em um ambiente que está em rápida mudança encontrará surpresas, oposições e falhas. O segredo para lidar com eles não é evitá-los, mas encará-los de forma eficaz. Pessoas emocionalmente inteligentes não desistem de mudar um hábito ou processo na primeira oposição. O segredo é saber analisar as dificuldades apresentadas e entender o que pode ser feito para solucionar o obstáculo encontrado. Nos momentos de discussão, muitas vezes, não fazer nada (por enquanto) é melhor - e mais difícil - do que fazer a coisa errada muito rapidamente.

Em resumo: entender os seus sentimentos — e os dos outros — e pensar em como os interesses de todas as áreas podem ser trabalhados para se chegar a um acordo são características que demonstram um nível elevado de inteligência emocional. Adotando essa postura, enfrentar o diferente passa a não ser tão assustador assim.

Curtiu o texto? Saiba que isso é só um gostinho do que é publicado diariamente na newsletter do The BRIEF, que traz as principais notícias do mercado de tecnologia pra você, todas as manhãs. É serious, é business, mas com um jeitão bem descontraído (#mozão). Para assinar, é só clicar ali -> aqui