Já passou — e passou faz tempo — a época em que a internet era um ambiente de passividade dos usuários. Hoje, boa parte desses internautas são também consumidores de conteúdos e de produtos ou serviços. Não é exagero dizer que a rede se transformou em um imenso Shopping Center digital, sendo que ainda existe muito espaço para investimentos e “abertura de novos estabelecimentos”.

Carolina Peres (do SEO Marketing) deixa bem claro: “A Internet é uma porta aberta para diversas oportunidades de negócio. Divulgar trabalhos, estabelecer contatos, trocar conhecimento e experimentar novos modelos fazem parte do processo para ganhar dinheiro no mundo virtual.“.

Atualmente, o e-commerce é visto como um dos principais segmentos do empreendedorismo online. Há dados apontando para um faturamento anual de cerca de R$ 40 milhões no Brasil. Sendo que mais de 105 milhões de pedidos foram realizados no decorrer do último ano.

Mas existe alguma dica para quem está começando? Existe sim! E bem mais que uma! Confira agora oito ferramentas que podem auxiliar nesse mercado e que foram selecionadas pelo SEO Marketing.

1. GoSpaces

A GoSpaces é uma plataforma para construir um novo negócio de vendas, sejam elas de produtos físicos, digitais ou assinaturas. Com ela, o empreendedor tem acesso a hospedagem, servidores e banda larga eficiente, além de proteção contra a ação de hackers na hora do pagamento.

As ferramentas incluem, suporte para a criação do site, com o Gerador de Nomes para Empresas, diversas opções de pagamentos, desde o tradicional cartão de crédito até as futurísticas Bitcoins, além de automatização de todo o funcionamento do site.

GoSpaces

2. Shopify

Quando o e-commerce se consolida e o negócio começa a se expandir, pode ser o momento de migrar para uma nova plataforma de varejo sem contar com o trabalho de um desenvolvedor, que cobrará valores mais altos que a taxa do serviço. A hospedagem segura e a administração simplificada, além de controle do layout e códigos HTML e CSS, tanto para o PC quanto para o celular, e a integração com as redes sociais facilitam o gerenciamento de todo o crescimento da loja virtual.

Shopify

3. Blog

Publicar conteúdo em um blog possibilita o aumento de tráfego no site. Quanto maior for o número de posts, há mais chances de que as pessoas e potenciais consumidores encontrem este conteúdo e, consequentemente, o site. Além disso, o blog é uma forma para se comunicar diretamente com os clientes e estabelecer-se como referência no nicho, o que aumenta a taxa de conversão e incentiva a fidelização à marca.

Atravessada a primeira porta, a próxima deve levar o empreendedor rumo ao aperfeiçoamento do serviço de compras online. Conhecer o público que consome os produtos oferecidos é fundamental para consolidar a presença digital da marca e garantir a melhor experiência ao cliente, estimulando cada vez mais o consumo no e-commerce, sempre com base no bom relacionamento.

Plataforma Wordpress

4. Google Analytics

Gratuita, esta ferramenta permite que o empreendedor conheça estatísticas sobre o número de visitantes da loja, número de páginas visitadas, a origem do tráfego, a localização do usuário, a quantidade de novos visitantes e o caminho para a conversão. A análise quantitativa e qualitativa dos visitantes do site e também dos concorrentes possibilita traçar uma estratégia certeira antes, durante e até mesmo após a transação ser efetuada.

Google Analytics

5. Ebit

A empresa é capaz de medir a satisfação dos clientes após a compra, avaliando a experiência oferecia pela loja. A credibilidade reduz a insegurança do usuário na hora da compra, pois, com a avaliação dos demais consumidores, os clientes em potencial vão sentir confiança durante todo o processo que envolve a compra: a pesquisa, o pagamento, a qualidade, o frete, a entrega e a troca ou devolução do produto.

Ebit

6. Navegg E-commerce

Além de identificar o público, a mesma ferramenta permite também fazer anúncios, medir o impacto da campanha, criar ofertas personalizadas para cada perfil de visitante e antecipar-se às tendências. A base para tudo isso é a classificação do consumidor a partir do reconhecimento de diferentes comportamentos online, essencial para compreender as vendas realizadas no e-commerce e aprimorá-las.

Navegg

7. Google Page Speed Insights

O desempenho da loja virtual acontece de formas diferentes nos computadores e nos dispositivos móveis. Ao medir o desempenho da página e obter resultados por meio de pontuações, é possível reduzir a taxa de abandono do site e melhorar a indexação na busca do Google.

8. Cyfe

A ideia de integrar em uma mesma página dados de diversos sistemas pretende facilitar a organização de informações e permite um olhar analítico sobre o que é fundamental para considerar na estratégia de uma loja virtual. No sistema gratuito, é possível centralizar na mesma tela gráficos oriundos de Google Analytics, blogs, redes sociais e do próprio site.

Cyfe

......

Abertas todas as portas virtuais, o empreendedor ainda precisa garantir que as oportunidades no mundo off-line sejam bem aproveitadas pelo novo negócio. Frequentar eventos voltados para startups, relacionar-se com experts no assunto e buscar especializações em cursos são só os itens necessários para este passo. Quanto mais conhecimento o empreendedor trouxer para seu e-commerce, maiores serão as chances de dar a volta por cima.

Você já empreendeu em sistemas virtuais? Comente no Fórum do TecMundo