"Alguém precisa indexar o mundo físico". Essas foram as palavras proferidas por Thomas Walle, parceiro de Kjartan Slette, para explicar por que a dupla decidiu criar a Unacast. Ambiciosa, mas sem tirar os pés do chão, a startup tem potencial para transformar o universo da publicidade para sempre - consequentemente mudando nossos hábitos online e offline.

A ideia de criar o negócio surgiu depois que os empresários descobriram que uma pessoa comum gasta cerca de 30% de seu tempo em frente a computadores e smartphones. Foi então que veio o pensamento: e os outros 70%? Esse restante de tempo é utilizado no mundo físico, com aquelas atividades offline. E é justamente essa oportunidade de mercado que a Unacast quer aproveitar, permitindo que a publicidade nos atinja de maneira inteligente também quando não estamos conectados a um dispositivo. 

Anúncios por todos os lados

A Unacast pretende estudar melhor o comportamento dos consumidores quando eles não estão online, para ser capaz de direcionar uma publicidade mais eficaz de maneira similar como acontece quando estamos fazendo uma pesquisa no Google, ou conferindo o feed do Facebook. Com base no conteúdo que acessamos, esses serviços exibem anúncios que "conversam" com nossos interesses - e com a chegada da Internet das Coisas, a Unacast pretende transportar esse modelo de publicidade para o mundo "real" de maneira sem precedentes.

A empresa também enxerga possibilidades de tornar sua visão uma realidade por meio de sensores, que são capazes de rastrear o que fazemos por aí. Ao passar por um desses sensores, o sistema identifica essas "pegadas" deixadas por cada indivíduo, que receberá conteúdo publicitário condizente com seus hábitos. E se engana quem pensa que isso está muito longe de acontecer: a empresa já firmou parceria com 66 provedoras de PSP (Proximity Solutions Provider), que, justamente, desenvolvem esse tipo de sensor.