A robótica já vem sendo empregada com sucesso em diversos segmentos da indústria, fazendo com que funções anteriormente realizadas por pessoas sejam substituídas por máquinas altamente eficientes (e que nunca precisam faltar ao trabalho por motivos pessoais). Mas o futuro que está batendo à nossa porta mostra robôs roubando um novo leque de empregos, incluindo alguns bastante tradicionais e na área de prestação de serviços.

Ainda assim, uma pesquisa conduzida pelo Pew Research Center no ano passado mostrou que 80% dos norte-americanos ainda acreditam que seus empregos continuarão salvos nos próximos cinquenta anos, pelo menos, mesmo que dois terços da população do país tenha ciência de que as máquinas seriam capazes de executar a maioria dos trabalhos que ainda são feitos por humanos.

Mas o fato é que robôs, inteligências artificiais e processos automatizados farão com que mais de 5 milhões de empregos sejam realizados por máquinas até o ano de 2020 - e esses dados fazem parte do estudo “The Future of Jobs”, realizado pelo World Economic Forum.

Saiba então quais serão os sete empregos que os robôs tomarão primeiro dos humanos: 

Motoristas de caminhão

Com a chegada da direção autônoma ao mercado, a função de muitos motoristas está ameaçada - e há previsões de que em apenas uma década, um terço de todos os caminhões em uma estrada não terá uma pessoa atrás do volante.

E no que depender da Otto Motors, essa previsão se concretizará o quanto antes. A startup de caminhões autônomos foi comprada pela Uber em agosto do ano passado, e já conta com especialistas em inteligência artificial que já passaram pela Google para atingir seu objetivo: tornar obsoleta a direção executada por humanos.

Operários da construção civil

O setor da construção também sofrerá uma revolução tecnológica nos próximos anos, contando cada vez mais com máquinas realizando tarefas no lugar de pessoas. Um exemplo disso é o SAM (Semi-Automated Mason), que já é capaz de fixar 1.200 tijolos em uma parede em somente um dia de trabalho, enquanto no mesmo período um operário humano não chega a passar dos 500 tijolos. Veja a máquina em ação:

Além disso, operadores de escavadeiras e guindastes também poderão se tornar obsoletos à medida em que as máquinas inteligentes vêm chegando neste setor.

Profissionais de apoio jurídico

De acordo com especialistas, dentro de três anos, 39% dos empregos no setor jurídico serão automatizados. Funções como revisão de documentos e pesquisa de informações para embasar os argumentos dos advogados são algumas das primeiras que serão executadas apenas por inteligências artificiais.

Profissionais da área médica

Robôs médicos já auxiliam cirurgiões em centros hospitalares nos dias de hoje, e essa mecanização da medicina ainda está engatinhando. O futuro próximo contará com um número cada vez maior de máquinas realizando procedimentos médicos, inclusive de maneira autônoma (ou seja, sem que o equipamento seja operado por uma pessoa).

Contadores

Nos próximos anos, espera-se que os robôs executem a maior parte do trabalho dos profissionais da contabilidade, uma vez que tarefas como analisar números, balanços financeiros e extratos bancários podem ser feitas por máquinas de maneira muito mais eficiente e veloz.

Segundo as previsões, analistas financeiros também terão seus postos ameaçados por inteligências robóticas.

Jornalistas

Algumas áreas dentro do jornalismo também passarão a contar com trabalhadores robóticos. Por exemplo, editorias de finanças e de textos mais técnicos podem ser alimentadas por bots, já que as máquinas vêm sendo treinadas para criar esse tipo de conteúdo sem que ninguém perceba que os textos não foram redigidos por pessoas.

Vendedores

Enquanto muitas pessoas já mal fazem compras em lojas físicas, preferindo o e-commerce, a tendência para o comércio é contar com robôs para oferecer aos clientes produtos de acordo com seus interesses. Uma inteligência artificial é capaz de analisar o perfil daquele comprador, seus hábitos online e que tipo de produtos ele mais procura em uma fração de segundos - coisa que um vendedor humano não seria capaz de fazer.

Mas muita calma nessa hora: se você trabalha com alguma das profissões citadas acima, saiba que o desemprego não é necessariamente o seu destino. Enquanto funções existentes passam a ser executadas por máquinas, novas funções vão surgindo no mercado de trabalho para que esses profissionais se recoloquem. Basta ficar atento às mudanças de seu setor com o avanço da tecnologia e manter a mente aberta para novas oportunidades!