Contratar profissionais realmente talentosos no mercado de tecnologia não é das tarefas mais simples - e qualquer entrevistador pode confirmar essa percepção. Muitas vezes, após diversas entrevistas e muito tempo perdido, a empresa acaba contratando aquele que pareceu ser o “menos pior”, ou, ainda, deixa passar um profissional extremamente capacitado por não conseguir oferecer uma remuneração à altura.

Mas então como atrair candidatos com skills elevados mesmo sem a oferta de um salário digno do Vale do Silício? Daniel Wesleys, CIO da empresa de empréstimos CreditLoan.com, deu algumas dicas valiosas para que as empresas de tecnologia atinjam esse objetivo. “O truque é encontrar candidatos que tenham a paixão que precisamos - e convencê-los a entrar em nossa equipe”, explicou.

Dificuldades na hora de contratar

Para o especialista em finanças pessoais e membro do Forbes Technology Council (um grupo de elite da publicação composto por CIOs, CTOs e executivos), contratar bons talentos é algo crítico para se construir uma equipe sólida e bem sucedida. E uma equipe “mais ou menos” pode fazer com que sua empresa seja enxergada pelos funcionários como aquele lugar do qual é preciso ir embora para obter sucesso profissional.

Além disso, com a dificuldade para contratar novos talentos, a equipe atual pode ficar sobrecarregada e estressada, o que fatalmente reduzirá seu bem estar e, consequentemente, sua produtividade. De acordo com Wesleys, “quando você não contrata grandes talentos para dar apoio ao time existente, uma carga de trabalho nada saudável e a falta de sensação de realização o colocará em sérios riscos de perder os melhores profissionais de sua empresa”.

Então como atrair esses talentos?

A primeira barreira que as empresas costumam encontrar na hora de conquistar profissionais realmente capacitados é, sem dúvida, a remuneração. Enquanto corporações gigantes como Google e Facebook praticamente só contam com experts em suas equipes, oferecendo os melhores salários do mercado, outras empresas menores sofrem na hora de bater de frente com esse tipo de oferta.

Mesmo sem que a empresa tenha um caixa tão “gordo” para atrair os melhores profissionais, “você precisa se manter competitivo com o salário do mercado”, explicou o especialista. Ou seja, não se pode esperar contratar aquele candidato para lá de qualificado se a remuneração oferecida estiver muito abaixo da média da concorrência.

Mas o que fazer caso a empresa realmente não possa oferecer um salário melhor? Wesleys recomenda considerar o quanto a empresa gastaria treinando um profissional menos especializado para que ele atinja o nível desejado, em primeiro lugar. Contudo, estabelecidos os limites possíveis de remuneração, o CIO dá ainda três dicas para atrair talentos para o seu negócio:

1) Reforce seus pontos positivos

“Descubra o que o candidato está procurando, e mostre a ele como sua companhia pode satisfazê-lo”. Essa é a primeira dica de Wesleys para empresas que não seduzem o profissional ideal por conta de um salário inferior ao desejado.

Engana-se quem pensa que somente dinheiro entra como fator decisivo na hora de o candidato escolher qual proposta aceitar. Questões como localização, proximidade da residência, benefícios e entrosamento da equipe são valiosas, e não devem ser deixadas de lado na hora da entrevista.

2) Encoraje a honestidade

A segunda dica é ser o mais claro e honesto possível durante a entrevista, encorajando o candidato a se abrir, também. Dessa forma, o entrevistador conseguirá entender melhor quais são os sentimentos daquele candidato com relação à oferta, e vale a pena perguntar se ele já recebeu outras propostas com salários melhores que possam influenciar sua decisão.

3) Não se precipite

Deixar um ótimo candidato ir embora da entrevista sem uma resposta imediata pode parecer que a empresa está perdendo uma oportunidade, mas, na verdade, tomar uma decisão precipitada somente para “segurar” o profissional também não é das saídas mais inteligentes. “Sempre se pergunte se você não conseguiria encontrar um candidato similar que esteja ainda mais faminto pela oportunidade, e que se juntaria a seu time por menos [dinheiro]”, recomenda Wesleys.

Além disso, ainda existem aquelas empresas mais tradicionais que dão muito valor às aparências, estabelecendo um dress code para os seus funcionários. No entanto, em diversas áreas no universo da tecnologia, os profissionais mais capacitados são justamente aqueles que não se adaptam à rotina da calça social e camisa, e esse candidato pode levar esse critério em consideração na hora de aceitar sua proposta.

Wesleys sugere que, caso a empresa se depare com um talento imperdível que se sinta mais confortável trabalhando de jeans e camiseta, tente deixar essa regra de lado. Mais conforto durante o trabalho é convertido em produtividade e satisfação - e o mercado precisa se adaptar aos novos tempos.