Se você é um empreendedor e tem uma startup que quer oferecer um produto inovador para o mercado, uma forma de conseguir concretizar seus objetivos mais rápido é formar uma parceria com uma empresa grande. Contudo, relações como essas nem sempre dão certo pelo fato de líderes de grandes e pequenas organizações não saberem lidar muito bem uns com os outros.

Portanto, se você tem uma startup e quer de fato fazer uma parceria com uma empresa maior, é necessário escolher essa parceira muito bem e ainda planejar suas ações e objetivos. Grandes corporações podem ser parceiras de dezenas de startups enquanto você tem apenas uma delas como parceira. Para se destacar e fazer a relação funcionar, é preciso seguir algumas diretrizes.

O empreendedor Aaron Michel, do TNW, resolveu compartilhar cinco dicas para formar uma parceria saudável com uma empresa grande quando você é uma startup. Todas essas dicas foram lições aprendidas por ele quando esteve na posição que você provavelmente está agora. Confira:

1. Tenha objetivos bem definidos

Formar uma parceria com uma empresa grande apenas para “colaborar” é perda de tempo. Você não terá nada produtivo dessa relação e sua parceira provavelmente também não. Por conta disso, é necessário traçar objetivos bem claros para começar uma relação.

Programe, por exemplo, concluir tais trabalhos, alcançar tais metas ou conseguir determinada penetração no mercado ou na base de clientes da sua parceira. Tudo isso deve estar atrelado a um período de tempo específico. Com um prazo determinado, você consegue focar melhor seus esforços.

2. Tenha algo bom para oferecer ao seu parceiro

Uma grande empresa ou corporação só vai fazer uma pareceria com sua startup se você tiver algo bom para oferecer em troca de uma possível ajuda. Ou seja, enquanto você tem objetivos traçados para alcançar em uma parceria com uma grande empresa, é necessário oferecer a ela alguma solução para algum possível problema.

Grandes empresas, mesmos as que têm tido muito sucesso no mercado, possuem muitos problemas para resolver, como gargalos internos e dificuldades de comunicação entre setores muito independentes.

Por isso, faça reuniões com seus próprios colaboradores e tente identificar qual seria a parceira ideal para a sua startup e qual seria a melhor coisa a oferecer para ela em troca de alguma ajuda nos seus objetivos.

3. Arranje um contato pessoal dentro da grande empresa

Mandar um email para um desconhecido dentro de uma grande corporação perguntando se a empresa estaria interessada em fazer uma parceria pode funcionar aqui e ali, mas é muito mais efetivo encontrar um contato pessoal para agilizar as coisas.

Se você conhece alguma pessoa dentro da empresa com a qual quer montar uma parceria, ou ainda um conhecido em comum, é melhor fazer um primeiro contato intermediado. Peça para alguém faça uma apresentação entre você e o responsável por uma possível colaboração na grande empresa. Com isso, você não apenas ganha mais atenção, mas também já consegue ter um “feedback” sobre como as coisas na sua futura parceira funcionam e como são os colaboradores.

Ao fazer suas primeiras reuniões com os executivos dessas grandes empresas, certifique-se de mostrar proatividade e deixar muito claro o que você espera deles e da companhia. É necessário também verificar se os valores da sua startup não serão corrompidos pela parceria. Caso haja algum risco, você deve avaliar melhor se vale a pena ou não seguir em frente. Ter um primeiro contato com muita honestidade e transparência é sempre muito importante.

4. Alinhe os objetivos de ambos os lados

É importante ter certeza de que seus objetivos o os da empresa parceira são compatíveis. De nada adianta você querer impactar em um grupo de pessoas de uma forma e eles quererem fazer isso de outra forma totalmente oposta. Imagine tentar vender um produto que ajuda jovens a emagrecerem tendo o McDonald’s como parceiro! Simplesmente não “orna”.

Veja se a oferta da grande empresa realmente pode ajudar a sua startup alcançar os objetivos definidos e certifique-se de que sua parceira poderá também se beneficiar do que você oferece.

Montar uma parceria e ter objetivos velados, que não são honestamente especificados, é sempre ruim, e, quando você ou sua parceira tentarem algo fora do que foi acordado, toda a relação pode desmoronar. Isso prejudica os dois lados de forma financeira e também desperdiça tempo e esforços.

5. Tenha paciência

Se você toca uma startup, normalmente toma suas decisões com um pequeno grupo de pessoas que, com frequência, representa praticamente todo o seu corpo de colaboradores. No caso de uma grande organização, a coisa é muito diferente. As decisões normalmente precisam ser aprovadas em vários níveis e, por isso, demoram mais para serem concretizadas.

Assim, não fique irritado ou desmotivado quando sua grande empresa parceira demorar muito tempo para responder um email com uma decisão tomada. Pense que eles trabalham de forma diferente e que ser importunado frequentemente por alguém é tão irritante quanto ficar esperando impaciente por uma resposta.

Alguém interessado em criar uma Startup de Tecnologia? Comente no Fórum do TecMundo