O que você acha da ideia de, com um simples toque na tela do seu smartphone, poder avisar amigos e familiares, além de autoridades policiais, sobre uma situação potencialmente perigosa para você? Essa é a ideia do Nearbee, uma plataforma geossocial para segurança pessoal que promete contribuir para a proteção dos cidadãos através da colaboração em comunidade.

Convencido de que as pessoas podem ter uma vida mais segura ao se conectarem uma com as outras, o jovem Felipe Fontes criou a startup Nearbee. Esse projeto tem como principal produto um aplicativo homônimo para dispositivos móveis capaz de alertar pessoas próximas e autoridades sobre possíveis situações perigosas. O app ainda compartilha a localização e permite acesso ao áudio do dispositivo para ajudar a identificar a gravidade do ocorrido.

Como surgiu a ideia?

Felipe Fontes teve a ideia de criar o Nearbee em uma conversa entre amigos na qual eles discutiam um incidente grave que havia acontecido no campus da UNICAMP (SP):  uma menina havia sido violentada. A partir desse momento, ele percebeu que existe uma necessidade de segurança pessoal em uma sociedade em que todos estão o tempo todo conectados.

Se antes, em uma situação de emergência, era preciso digitar o número do socorro, fornecer o seu endereço e muitos outros dados, o Nearbee facilita isso através de um único toque. Por meio do aplicativo, a pessoa pode sem grandes dificuldades compartilhar informações essenciais para garantir a sua segurança e facilitar a ação daqueles que podem ajudar.

Desafio Cisco de Inovação Urbana

A Nearbee é uma das cinco startups vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana, programa que visa selecionar empresas que ofereçam soluções inovadoras e inteligentes que estejam comprometidas a melhorar a qualidade de vida na cidade do Rio de Janeiro.

Essas startups foram selecionadas entre 15 finalistas e estão participando de um programa de aceleração profissional apoiado pelo Centro de Inovação da Cisco, no Rio de Janeiro. O objetivo é que as cinco soluções sejam implementadas no Porto Maravilha nos próximos meses.

“O objetivo do Desafio foi incentivar o ecossistema de inovação e o desenvolvimento de aplicações de software digital em cima da plataforma urbana conectada que a Cisco está implementando no Porto Maravilha. O que os finalistas do Desafio Cisco nos mostraram foram propostas que procuram formas diferentes, criativas e inovadoras de resolver problemas do cotidiano de cidades grandes, como a mobilidade, a gestão de serviços públicos, a melhoria dos transportes públicos e das telecomunicações”, afirma Nina Lualdi, Diretora Sênior de Inovação para América Latina da Cisco.

O Desafio faz parte da iniciativa da Cisco de Inovação Urbana no Porto Maravilha, um dos projetos da empresa para contribuir para a construção de um legado duradouro para a transformação da cidade do Rio de Janeiro. Através de ações dos setores público e privado, o Porto Maravilha será um modelo de bairro inteligente, com zonas residencial e comercial, rede de transporte público e infraestrutura de telecomunicações eficientes.

A visão da Cisco, alinhada com a Prefeitura do Rio de Janeiro, é tornar a área do Porto Maravilha um exemplo único de um "Bairro Mais Inteligente e Mais Humano", através de uma plataforma interligada e serviços inteligentes. Assim, cidadãos e visitantes poderão se conectar não somente entre si, mas também com a cidade e com o governo.

Você acredita que é possível criarmos uma cidade verdadeiramente humana através da tecnologia? Comente no Fórum do TecMundo!

Este publieditorial foi patrocinado pelo Desafio Cisco de Inovação Urbana.