Quando tinha uns 8 anos de idade, Warren Buffett descobriu o que mais gostava na vida: investir. "Eu já tinha lido todos os livros sobre o tema na Biblioteca Pública de Omaha aos 11 anos. Alguns deles mais de uma vez", disse o empresário, em um artigo escrito para a Forbes.

Buffett também tinha uma vantagem, claro. Seu pai estava no ramo dos investimentos há anos, então o executivo aproveitou para pegar emprestado diversos livros que eram do seu pai. E, apesar de ser um leitor voraz desse tipo de conteúdo, ele sem querer acabou comprando o livro que mais o ajudou ("The Intelligent Investor", de Benjamin Graham) em sua caminhada.

Neste livro, Buffett tirou seu primeiro aprendizado sobre investimentos – algo que ele carrega consigo (e aplica) até hoje.

Como encontrar um bom investimento

A filosofia que Buffett aprendeu com o livro consiste em seguir quatro regras básicas. É preciso (1) encontrar um bom negócio ("e um que eu consiga entender por que é bom", diz ele), que (2) possua uma vantagem durável e competitiva, e que (3) seja liderada por pessoas capazes e honestas. Por fim, é claro, esse tal negócio também deve (4) estar disponível para venda por um preço justo, que faça sentido. De acordo com o executivo, esse é o caminho das pedras.

"Como não vamos vender o negócio, não precisamos de algo que tenha aumento de ganhos já no próximo mês ou no próximo trimestre. Precisamos de algo que trará mais dinheiro daqui 10, 20 ou 30 anos a partir de agora. E, então, queremos uma equipe de gerenciamento que admiramos e na qual confiamos", explica o especialista.

O segundo grande ensinamento do empresário é um dos que ele considera primordiais para quem quer ter sucesso:

Invista em você

Pode até ser clichê, mas esse é o investimento mais crítico, aquele que "substitui todos os outros", de acordo com o executivo.

"Resolva tudo aquilo que você sente que é sua fraqueza, e faça isso agora", afirma Buffett, citando como exemplo uma experiência própria. "Eu ficava aterrorizado com discursos em público quando jovem. Eu simplesmente não conseguia lidar com isso. Me custou US$ 100 para fazer um curso de Dale Carnegie, e isso mudou minha vida. Eu fiquei tão confiante com a minha nova habilidade que pedi minha esposa em casamento durante o curso", lembra.

Para ele, "ninguém pode tirar o que você fez de si" e "todo mundo tem algum potencial que ainda não utilizou". Aqui se encaixa bem a máxima "não há dinheiro que pague", não é mesmo?