Há cerca de uma semana, o bitcoin bateu novo recorde, ultrapassando os US$ 5 mil que analistas de mercado já previam. O aumento do preço da moeda foi de 750% durante o ano passado e, hoje, ela vale mais do que ouro (literalmente).

Ainda assim, o sucesso do bitcoin não parece ser o suficiente para que ela reine sozinha, o que faz com que outras concorrentes derivadas da moeda virtual surjam por aí. Ao menos mais duas delas estão no forno, se preparando para serem apresentadas para o mundo.

A primeira é a Basecoin, que tem como principal proposta acabar com a volatilidade que o bitcoin apresenta. A moeda conta com uma equipe que engloba antigos programadores do Google, os quais esperam desenvolver uma versão mais estável da criptomoeda. Além disso, um dos objetivos é criar um banco central baseado em algoritmos e blockchain para "regulamentar" as transações.

Dentre os investidores da Basecoin estão nomes como Andreessen Horowitz, PolyChain Capital, Pantera Capital e a 1confirmation (de Mark Cuban).

Do outro lado temos a Cypherium, uma moeda virtual que tem em seu time de desenvolvedores especialistas da Amazon, Google e Microsoft. Aqui, a ideia dos programadores é construir uma blockchain que lide facilmente com a expansão do ecossistema bitcoin (coisa que a moeda original está longe de conseguir fazer e foi o que originou o primeiro hard fork, para começo de conversa).

A principal forma de atuação aqui é com base em contratos inteligentes (mais ou menos como funciona a Ethereum), que são processados fora da rede – o que possibilita a realização de milhares de transações em segundos. Ou seja, ampliando criticamente a capacidade do ecossistema.

Será que elas vão conseguir triunfar?

Ainda é muito cedo para dizer. O bitcoin pode ter sido a primeira moeda a surgir, mas muitas outras vieram em seu encalço. Fato é que, apesar de muitos sucessos, nenhum ainda conseguiu destronar de vez a criptomoeda-mãe.

Vale lembrar, porém, que quando há uma tecnologia nova no mercado, que tem potencial para causar disrupção, a ideia é lutar com a indústria tradicional, como ressalta Peter Van Valkenburgh, diretor de pesquisa do Coin Center. “Quando você tem uma indústria totalmente nova, os competidores dentro dessa indústria não estão realmente competindo entre si, eles estão concorrendo com a indústria antiga e geralmente todas as partes crescem juntas", disse.