Se você de alguma forma conseguiu ficar alheio à irritação causada pela possibilidade do estabelecimento de limites ao uso da internet banda larga fixa, uma nova pesquisa divulgada recentemente pode ser o que faltava para entender como isso vai afetar a sua vida. De acordo com um estudo da Open Signal, empresa especializada em mapear coberturas de redes móveis, hoje os smartphones ligados à web passam quase 60% do tempo usando conexões via pontos de acesso WiFi.

Segundo a companhia, o número pode ser explicado pelas franquias de dados limitadas na internet móvel em contraste com a banda larga fixa. "Como, em geral, é fácil achar pontos com WiFi gratuito, o consumo do pacote de internet móvel acaba sendo reduzido", diz Felipe Byrro, especialista da Melhor Plano, uma plataforma de comparação de preços do setor de telecomunicações. Por isso, um plano que ofereça 5 GB e saia, em média, por R$ 127 mensais acaba perdendo a preferência quando comparado a outro mais limitado, mas que custe menos.

Caso o limite da internet fixa seja estabelecido, bares e restaurantes devem acabar com o WiFi gratuito

Agora, com a possibilidade de o limite de dados chegar também à internet fixa – algo que está sendo avaliado pela Anatel e pelo Governo –, tudo pode estar prestes a mudar. "Caso isso se concretize, locais como cafés e livrarias, por exemplo, não vão mais disponibilizar o WiFi gratuitamente, e o usuário acabará pagando mais caro por precisar de um pacote de internet ainda maior". Ou seja, além de ter a banda larga limitada, você terá que gastar mais com 3G e 4G.

Velocidade e disponibilidade

A pesquisa da Open Signal também mediu a velocidade média das redes 3G e 4G e o tempo em que os usuários conseguem se conectar em 95 países, e o Brasil está abaixo da média em ambos os indicadores. A nossa média de tráfego de dados é de 7,43 Mbps, índice semelhante ao do Marrocos e da Guatemala e inferior ao dos vizinhos Chile, Peru e Uruguai.

Já quanto à disponibilidade de rede, os brasileiros conseguem acessar o 3G e 4G sem problemas 75,23% do dia, número próximo ao da China e da Bielorrússia. "Esses indicadores são nacionais e podem variar de acordo com a região. Portanto, antes de contratar um pacote de celular, é essencial fazer comparações entre as opções disponíveis localmente", destaca Byrro.