Segundo o Gartner, líder internacional em pesquisas de tecnologia, os Data Centers estão a um passo de sofrer uma revolução - e essa revolução será tema de debates entre analistas em uma conferência que acontecerá nos próximos dias 25 e 26 de abril, em São Paulo.

O evento "Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações e Data Center" colocará em pauta o fato de que "as abordagens tradicionais de infraestrutura de TI estão lutando para acompanhar a digitalização contínua das empresas", já que novas tecnologias e modelos de negócios são trazidos ao mercado pelos fornecedores, mudando as regras do jogo. 

De acordo com a empresa, pode-se classificar os comportamentos dos provedores de Data Centers em três categorias: os protetores, os revolucionários e os evolucionistas disruptivos.

Entendendo o que isso significa

Enquanto o perfil dos protetores representa os provedores tradicionais, que procuram proteger sua infraestrutura convencional e preservar a margem de lucro, os evolucionistas são aqueles que apostam em tecnologias novas para promover inovações com poderes de transformar as coisas como as conhecemos. Já os provedores revolucionários são uma nova categoria no mercado de Data Center, trazendo novos modelos de negócios e contando com tecnologias inovadoras para tal, mas sem causar grandes impactos na forma com que o mercado vem funcionando.

Normalmente privadas, essas empresas costumam contar com profissionais de perfil inovador capazes de trabalhar com novas tecnologias, mas sem arriscar prejudicar suas fontes de receita. De acordo com Joe Skorupa, vice-presidente e analista emérito do Gartner, "a capacidade dessas organizações de experimentar modelos de negócios novos e adaptar suas ofertas às necessidades dos compradores permite que elas superem fornecedores maiores e já estabelecidos".

Na conferência, os analistas também abordarão o contraponto, mostrando que essas empresas enfrentam desafios como a falta de confiança por parte dos compradores, alcance limitado no mercado e ecossistemas pequenos. No entanto, os mesmos conselhos e recomendações que a companhia trará às empresas revolucionárias, também servirão para as organizações tradicionais, uma vez que alianças entre fornecedores inovadores e empresas já estabelecidas no setor podem melhorar não somente a reputação dessas empresas, como sua capacidade de penetração no mercado.