Imagine uma tecnologia capaz de gerar energia enquanto livra o ar de substâncias prejudiciais. Esse é um sonho da humanidade que vem se tornando realidade: pesquisadores da Universidade da Antuérpia e da Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, desenvolveram um sistema que pode realizar essa tarefa com a ajuda de um dispositivo movido a luz.

Conceito do aparelho é parecido com o de um painel solar

“Colocamos o pequeno aparelho em duas salas separadas por uma membrana. O ar purificado ficou de um lado enquanto do outro tivemos hidrogênio gasoso produzido a partir de parte dos produtos degradáveis. Esse hidrogênio gasoso pode ser armazenado e usado posteriormente como combustível, o que já foi feito com alguns ônibus, por exemplo”, explica o professor Sammy Verbruggen, um dos integrantes do projeto.

Como funciona?

A chave para transformar o ar poluído é a membrana, desenvolvida com o uso de nanomateriais específicos. “No passado, essas células eram usadas para extrair hidrogênio da água e agora descobrimos que isso pode ser feito de maneira até mais eficiente com o ar poluído”, diz Verbruggen.

Próximo passo é reproduzir o sistema em escala industrial

O funcionamento depende de um gadget que funciona quando é exposto à luz, em um processo parecido com o de paineis solares. A diferença é que, em vez de gerar eletricidade direta, o resultado é o ar purificado e o combustível que pode ser armazenado.

A meta agora é melhorar o sistema para usar em larga escala. “Atualmente estamos trabalhando em uma escala de apenas poucos centímetros quadrados. Nos próximos estágios queremos aumentar isso e melhorar a tecnologia para que ela possa ser aplicada na indústria. Também estamos melhorando os materiais, assim poderemos usar melhor a luz solar para disparar as reações de forma mais eficiente.”