Embora até há pouco tempo esse fosse um boato sem muito fundamento e criado para atingir os usuários mais alarmistas da plataforma, parece que agora realmente teremos conteúdo pago dentro do Facebook. A novidade começa a ganhar forma graças a uma série de conversas que o chefão da News Corp. – dona do Wall Street Journal e do Times of London – estaria tendo com a companhia de Mark Zuckerberg.

Segundo um artigo da Bloomberg, o CEO do conglomerado de notícias, Robert Thomson, pode estar tocando um plano ousado junto ao Facebook, com o acordo se encontrando em um estágio “bem avançado” no momento. Em uma entrevista realizada na última quarta-feira (21), o próprio executivo admitiu que anda trocando ideias com Zuckerberg sobre “o quão importante é o valor do conteúdo seja reconhecido”.

Gigante das notícias pode recorrer ao Facebook para voltar a prosperar

“Estamos no meio de negociações com o Facebook para [a criação de] uma mecânica de assinatura", explicou o Thomson, que chegou a criticar anteriormente a forma como a Alphabet – holding da Google – e o próprio Facebook fecham os usuários dentro de seus ecossistemas. Seja como for, esse mesmo tipo de plataforma, centralizada em entreter e manter o internauta consumindo informações sempre no mesmo lugar, pode acabar sendo a salvação para os negócios da News Corp.

Reinvenção na internet

O acordo pode trazer um novo sopro de vida para esse modelo de negócios

Assim como acontece com outras gigantes do setor, o império criado por Rupert Murdoch também sofre com a queda acentuada de vendas de jornais e revistas. Com a contraparte online dessas publicações também encontrando problemas para depender apenas de anúncios e banners, há uma dependência cada vez maior de pagamentos feitos pelos próprios leitores digitais. Sendo assim, o acordo pode trazer um novo sopro de vida para esse modelo de negócios, principalmente por conta de como o Facebook leva conteúdo a seus consumidores.

Se a empreitada for levada adiante, é possível, por exemplo, utilizar a segmentação gigantesca da plataforma para criar planos de assinatura que englobem apenas notícias envolvendo esporte, política, negócios e outras editorias. Para o CEO da News Corp., estratégias como essas podem beneficiar não só as gigantes do ramo como também dar uma mãozinha às pequenas empresas.

Outros nomes fortes do segmento também acreditam que esse tipo de sistema de assinatura pode ser uma das principais ferramentas para monetizar sua presença online. O pulo do gato nesse sentido? O Facebook parece estar realmente aberto a essa necessidade e preparando o terreno para que isso aconteça rapidamente. Resta saber como esse material será apresentado aos usuários e como vai ser a resposta do mercado a isso.