Viciado em "Game of Thrones"? Então, presumo que você tenha assistido ao primeiro episódio da sétima temporada da série junto com mais de 16 milhões de pessoas que ajudaram a HBO a ter sua melhor estreia da história. Mas esse número não é nada quando o comparamos com as vezes em que o episódio foi pirateado desde o seu lançamento.

Segundo a MUSO, uma empresa de análise de pirataria, o episódio já foi visto ilegalmente mais de 90 milhões de vezes em canais alternativos, quase seis vezes mais que as exibições da emissora. Vale lembrar que a HBO liberou seu sinal para a estreia da nova temporada, mas mesmo assim os hackers não perdoaram.

A série baseada no livro “A Song of Ice and Fire”, de George R. R. Martin, traz uma história épica repleta de intrigas, batalhas e dragões, um prato-cheio para todo e qualquer fã do gênero. Seus episódios são sempre pirateados, e o programa aparece constantemente no topo da lista dos mais divulgados ilegalmente na internet a cada ano.

Nem tentaremos explicar o que aconteceu no episódio, porque é muita coisa. O foco é a pirataria, ok? Não nos matem, fãs. Vamos aos números descobertos pela MUSO.

O episódio foi transmitido 77,9 milhões de vezes, baixado por rastreadores públicos como Torrent 8,3 milhões e baixado diretamente 4,9 milhões. Além disso, foi baixado por rastreadores particulares 500 mil vezes.

A maior parte da pirataria se concentra nos Estados Unidos – o Brasil não entrou nesse top5, ainda não entendemos como –, com 15,1 milhões de visualizações ilegais. A lista segue com o Reino Unido, que teve 6,2 milhões; a Alemanha, com 4,9 milhões; a Índia com 4,3 milhões; e, por fim, a Indonésia, com 4,3 milhões.

“Não há como negar que essas cifras são significativas. Não estamos vendo alguns hackers baixando conteúdo e transmitindo para seus amigos próximos, mas sim um verdadeiro fluxo de streaming não autorizado em larga escala”, disse o cofundador da MUSO, Andy Chatterley.

Após a pirataria em massa de seu episódio de estreia da nova temporada, a HBO já acionou a empresa IP Echelon, sua parceira na luta contra a pirataria. Segundo comunicado, a emissora já localizou o IP responsável pelo primeiro download ilegal do episódio e promete dar sequência aos procedimentos legais.