A Amazon levou alguns golpes fortes no final desta semana. Após apresentar seus resultados do trimestre, viu números abaixo do esperado e ainda seu CEO, Jeff Bezos, perdeu o lugar de homem mais rico do mundo para Bill Gates. Mas se não fosse pela AWS, este cenário seria ainda pior.

O desempenho da companhia decepcionou alguns investidores de Wall Street, mas o trabalho da Amazon Web Services mais uma vez foi memorável. A aposta maciça da empresa no segmento de servidores em nuvem vem dando certo e é parcialmente responsável pela lucratividade da Amazon nos últimos trimestres.

Após uma série de investimentos em sua tecnologia de compartilhamento de dados em nuvem, a Amazon está no caminho de gerar nada mais que US$ 10 bilhões de receita anualmente com o serviço.

Além disso, a AWS tem uma das melhores margens de lucro da empresa entre todas as suas linhas de negócio. Para se ter uma ideia, a receita da AWS teve uma alta de 46% em comparação com o mesmo período no ano passado.

Mesmo diante do sucesso deste serviço, a Amazon tem ciência de que existe a possibilidade de sofrer uma queda nos próximos trimestres. A empresa sabe que vem investindo muito na AWS para manter seu crescimento e reconhece a paciência dos investidores de Wall Street, mas sempre existe o temor de apresentar resultados negativos e estes rendimentos se esgotarem. 

A companhia de Jeff Bezos vem apostando forte na construção de edifícios para abrigar seus servidores gigantescos, mas sempre está de olho em outras formas de faturar. 

Todos sabemos a capacidade dessa empresa de encontrar caminhos para outros mercados. Prova disso é a recente compra da Whole Foods, uma rede de supermercados voltada para produtos orgânicos. Sendo assim, caso a AWS possa ver sua receita diminuir no futuro, a Amazon poderá encontrar outros meios de equilibrar seu lucro total.