Investidores querem substituir o atual CEO da SoundCloud, Alex Ljung, pelo ex-CEO do Vimeo, Kerry Trainor, como parte de um novo acordo de investimentos.

Se você não se lembra, a SoundCloud está passando por maus bocados há algum tempo, tentando encontrar maneiras de se estabelecer no mercado e monetizar a plataforma. Mas, enquanto as contas não fecham, a liderança da companhia procura outras formas de sobreviver por mais tempo.

Como Ljung não cogita a venda da SoundCloud, uma das possibilidades seria receber novos investimentos. O problema é essa cláusula, que pode não ser de todo agrado do executivo  afinal, ele fundou a empresa.

Sob os termos do acordo, Trainor passaria a comandar o serviço de música, e Ljung ganharia uma cadeira no board de diretores. Além disso, Trainor traria um novo COO.

Os planos da SoundCloud englobam o levantamento de US$ 170 milhões no acordo, o que daria à empresa um valor de mercado de US$ 150 milhões. A rodada de investimentos seria liderada pelo Raine Group e pela Tamasek.

De acordo com informações da Axios, Ljung já havia dito que, sem esse acordo, a SoundCloud poderia encerrar as operações.

Entenda o caso

O SoundCloud já passou por momentos prósperos antes de chegar ao ponto em que se encontra. Em 2014, por exemplo, a companhia pensou que poderia ser vendida para o Twitter por US$ 1 bilhão.

No ano passado, a empresa também tentou negociações com o Spotify, mas a conversa não seguiu adiante.

Em março do ano passado, as coisas começaram a desandar. A SoundCloud começou a ter problemas com dinheiro e acabou na demissão recente de 173 pessoas: 40% da força de trabalho da companhia.

Ainda não está claro se a empresa vai fechar esse acordo, mas ela terá de se decidir em breve, visto que ela não possui fundos suficientes para se manter até o próximo ano.