As ações da Magazine Luiza caíram 12% na última terça. O motivo? Possivelmente, um anúncio feito pouco mais cedo de que o conselho da empresa autorizou uma oferta pública no valor de 24 milhões de ações ordinárias. Na prática, a estratégia pode resultar na captação de cerca de R$ 1,9 bilhão para a marca, levando em consideração o valor de R$ 78,92 para cada papel.

O comunicado da rede varejista também indica que o acordo funcionará por meio de uma distribuição em duas fases. Isso significa que os primeiros ganhos relacionados às vendas dos novos títulos vão direto para o caixa da empresa (distribuição primária), e o restante será absorvido por investidores através da venda de ações já existentes (distribuição secundária).

Ao todo, tem-se a distribuição primária de 17,6 milhões de novas ações ordinárias pertencentes à companhia e a secundária de 6,4 milhões de ações que se dividem entre o comando da empresa e seus cinco acionistas – incluindo a fundadora Luiza Helena Trajano e o presidente Frederico Trajano.

O dinheiro já tem destino certo (e, ao que parece, não é o bolso alheio). De acordo com a Magazine Luiza, a grana será aplicada em uma série investimentos de longo prazo no negócio. Isso engloba desde a ampliação da malha logística da empresa e a inauguração de novas lojas até a aquisição de empresas com atuação no segmento digital – que agreguem algum tipo de benefício à operação ou estratégia da marca. As novas ações da loja estão previstas para ser oferecidas a partir do dia 29 deste mês.

Apesar de tudo, um ótimo ano

A varejista tem colhido bons resultados desde que abriu capital, em 2011, e continua a surpreender. No período do IPO, a empresa conseguiu captar um total de pouco menos de R$ 925,8 milhões, tendo seu preço por ação fixado em R$ 16. De lá para cá, o número de lojas cresceu consideravelmente, assim como a receita da companhia. No segundo trimestre deste ano, por exemplo, a empresa fechou o período com receita de R$ 2,7 bilhões. Que chato, né?

Além disso, de acordo com Roberto Bellissimo, CFO da Magazine Luiza, o Q2 de 2017 apresentou o maior "lucro líquido trimestral desde quando abrimos capital. Na verdade, o maior lucro trimestral da história da companhia", comemorou ele durante a conferência de resultados da empresa. O valor para o período? Um total de R$ 834,9 milhões em lucro bruto e R$ 72,4 milhões em lucro líquido. Ainda neste trimestre, o crescimento de vendas nas lojas físicas ficou na casa dos 14,5%, enquanto a parte de e-commerce fechou o período em alta de 55,4%.