Enquanto Jeff Bezos chega aos US$ 100 bilhões e começa a pensar em como essa grana pode ajudar as pessoas, sua contraparte chinesa parece já estar completamente engajada em lidar pessoalmente com as mazelas da sociedade. Não, não estamos falando de Jack Ma e de sua Alibaba, mas sim de Richard Liu, o chefão da JD.com.

Apesar de valer hoje cerca de US$ 10 bilhões, o fundador da maior rede de varejo da China tem origem pobre e parece entender os problemas que a falta de recursos traz à população chinesa. O que ele fez para remediar essa situação? Se autoimpôs a usar os recursos do seu negócio para aumentar a renda das pessoas de uma cidadezinha local e erradicar a pobreza na região. O detalhe: esse projeto tem uma meta de ser completado em cinco anos. Ousado.

A ideia de Liu é fazer com que a renda média anual da vila de Pingshitou, a Oeste de Pequim, tenha um aumento considerável no período: cerca de US$ 500 adicionais a cada ano. Atualmente, os ganhos deles ficam na casa dos US$ 600 a US$ 1.000 anuais. Isso significa que o auxílio do empresário pode fazer toda a diferença na vida dos habitantes do povoado – que vivem basicamente do comércio rural, especificamente a produção e venda de maçãs.

De acordo com o jornal People’s Daily, o CEO tem usado a estrutura da JD.com, desde agosto, para contratar os habitantes locais e ajudá-los a vender seus produtos. Com esse pontapé inicial na empreitada, Liu não só fez uma boa ação como também colocou em prática um desejo antigo. “Sonho em me tornar um patrono de vila desde criança. Sempre imaginei se, caso eu me tornasse um, conseguiria garantir que todas as famílias da vila tivessem comida [carne de porco] em suas mesas”, explicou. Será que Bezos segue o exemplo?

‘Jeff Bezos chinês’ quer usar e-commerce para derrotar a pobreza via TecMundo