Não é de hoje que o mercado vem travando uma batalha ferrenha para se acomodar às novidades tecnológicas e tirar tudo o que puderem de novos serviços e ferramentas para aumentar suas chances de sucesso. Nos últimos anos, no entanto, a chegada das assim chamadas “novas tecnologias” vem levando isso a extremos: ou as empresas se atualizam ou elas já ficaram para trás.

Para muitos, isso pode parecer um completo exagero, mas é só observar o mercado com calma para ficar claro que essa é uma verdade inegável. Hoje em dia, por exemplo, uma empresa que quer ter alguma chance de sucesso praticamente precisa ter o maior número de meios de contato com seu cliente – seja criando uma fanpage no Facebook, um perfil oficial no Twitter, um número para contato via WhatsApp ou tudo isso junto.

Isso, claro, é só uma parte do que uma companhia precisa se preocupar. Atualmente, empresas também devem se preocupar com fatores como a coleta, análise e compreensão dos dados de seus clientes, produtos e até de seu próprio estabelecimento; tudo para garantir máxima precisão em cada ação do mercado.

Pensando em como ajudar aqueles interessados em garantir o sucesso de suas empreitadas, por sua vez, o The Brief se uniu ao SAP para mostrar como essas tecnologias podem fazer toda a diferença mesmo em áreas que você jamais imaginaria. De quebra, ainda trazemos explicações detalhadas, em vídeo, da importância das tecnologias abaixo; basta continuar conosco para ver:

Big Data na saúde

Começamos, é claro, pela tecnologia usada como base para tudo o que pede a compreensão de quantidades massivas de dados. Cada vez mais comum em lojas e serviços online, o Big Data agora está também chegando aos hospitais, ajudando esses estabelecimentos a se prepararem com antecedência.

Para que tipos de problemas o Big Data pode ajudá-los a se preparar? Todo o tipo, na verdade: segundo a Forbes, as companhias de saúde têm como objetivo desde prever epidemias até melhorar a qualidade de vida do público em geral e evitar mortes que poderiam ter sido prevenidas.

A ideia, em resumo, é coletar informações sobre as pessoas desde cedo, para que, antes mesmo dos sinais de qualquer problema, a prevenção adequada possa ser aplicada – o que é uma solução muito mais segura e barata do que os tratamentos posteriores.

Inteligência Artificial e a automação

Você já parou para pensar que os processos utilizados por empresas não são verdadeiramente automatizados? Pois se você não entendeu nós explicamos: embora linhas de montagem e outros sistemas trabalhem sozinhos, em sua maioria, eles ainda pedem uma supervisão constante e alguém para controlar parte do processo, por menor que seja ele.

Foi por isso que empresas como a startup Beyond Limits resolveram trazer um nível de automatização superior com a ajuda da inteligência artificial, adaptando tecnologias usadas pela NASA para criar sistemas capazes de operar sozinhos. Estes seriam capazes de lidar com problemas complexos e encontrar soluções sem ajuda; ou seja, tornando a intervenção humana desnecessária.

Blockchain não é só para Bitcoins

Responsável pelo sucesso de nada menos do que o Bitcoin – e, por sua vez, das criptomoedas em si –, o protocolo Blockchain conseguiu, em pouco tempo, mudar a maneira como o mercado como um todo lida com transações, investimentos e a segurança em torno de moedas. Basta ver a quantidade abismal de empresas surgindo a cada dia, dedicadas apenas a lidar com essas tecnologias, para saber que não estamos de brincadeira.

Visto que o conceito em si por trás do Blockchain vem se mostrando tão impressionante, não são poucas aquelas companhias que querem trazê-las para seus sistemas. De acordo com o The Next Web, companhias como WalMart e Nestlé estão trabalhando em maneiras de melhorar seus softwares atuais com a ajuda desse protocolo, visando processos mais transparentes e seguros.

Outras empresas, por sua vez, estão utilizando o Blockchain para alternativas ainda mais curiosas. Que tal, por exemplo, aplicar isso no armazenamento da nuvem para garantir uma camada extra de segurança e permitir downloads de dados mais rápidos?

Internet das Coisas otimizando processos

Pensando em vender um eletrodoméstico, um carro ou mesmo um relógio? Pois é bom que ele esteja completamente conectado – afinal, a Internet das Coisas vem se mostrando algo cada vez mais desejado pelo público.

Não pense, entretanto, que isso é tudo o que você pode fazer com o conceito do IoT. Como notado pelo pessoal da SAP, companhias estão usando o IoT em conjunto do Big Data para otimizar processos de estabelecimentos como lojas e fábricas a escalas enormes. Isso, como resultado, deve trazer reduções de gastos que chegam aos milhões.

A ideia é simples: no lugar de terem que analisar separadamente cada aspecto de uma estrutura, a natureza interconectada da Internet das Coisas permite coletar e analisar dezenas de milhares de dispositivos de uma só vez, para então ter todos os dados trazidos de maneira compreensível.

Unindo as tecnologias em um só lugar

A esse ponto, é claro, muitos de vocês podem ter percebido um ponto crucial em todas essas novas tecnologias: elas não funcionam sozinhas. O Big Data, por exemplo, depende da inteligência artificial para gerar resultados, enquanto a Internet das Coisas deve trabalhar em conjunto das outras para utilizar os dados que ela mesma coleta de maneira inteligente.

É justamente por isso que empresas como a SAP possuem seus próprios sistemas de inteligência artificial – no caso, por exemplo, o SAP Leonardo – para ajudar a analisar e trazer soluções de negócios para a gestão de empresas. Com ele, você tem a chance de ajudar sua empresa a navegar e se transformarem no mercado digital, dando à sua companhia mais chances de sucesso.

Ficou interessado? Então é só clicar neste link para conhecer mais dessa poderosa ferramenta de inovação digital.

.....

*Conteúdo Patrocinado