Há poucas situações em que um pagamento de USD 121 bilhões não é o bastante. Mas, aprendemos nessa quinta que essa dinheirama toda não compra a Qualcomm. A fabricante de chipsets não aceitou a “oferta final” da Broadcom Ltd. Se concretizada, a compra seria a maior aquisição da história.

A Bloomberg reporta que a “proposta não solicitada” foi rejeitada por unanimidade pelo conselho da companhia de telecomunicações. A Broadcom, outra fabricante global de semicondutores, pretendia comprar todas as ações da Qualcomm por um valor de USD 82 (sendo USD 60 em dinheiro e outros USD 22 em opções de ações). A oferta foi apresentada na segunda e a reposta é de que USD 121 bilhões ainda é uma avaliação que subestima seu valor real.

Antes, a Broadcom se ofereceu para comprar a totalidade das ações da Qualcomm por USD 70. O conselho da Qualcomm escreveu uma carta direcionada a sua pretendente.

No documento, os chefões da empresa de chips apontam que a oferta “não contempla o valor da aquisição da NXP, nenhum valor para a resolução das disputas legais sobre licenciamento e nenhum valor para a significativa oportunidade em 5G”.

A resposta do board ainda vai um pouco além:

Sua proposta é inferior em relação ao nosso potencial de negócios como uma empresa independente e está significativamente abaixo dos múltiplos de negociação e transação em nosso setor.

Ou seja: no deal. Por enquanto.

Curtiu o texto? Saiba que isso é só um gostinho do que é publicado diariamente na newsletter do The BRIEF, que traz as principais notícias do mercado de tecnologia pra você, todas as manhãs. É serious, é business, mas com um jeitão bem descontraído (#mozão). Para assinar, é só clicar ali -> aqui