Na era da internet, nem todo mundo é paciente ou se lembra da vida nas feiras de carro. Sim, quando era preciso pagar um ingresso para estacionar o carro e aguardar o dia inteiro por propostas para negociar seu veículo. Apesar de alguns saudosos ainda se lembrarem com um sorriso no rosto dos fins de semana à procura de um carro, a verdade é que os classificados online quebram um galhão. Mesmo assim, escolher um carro online também pode ser uma tarefa pouco agradável.

A Webmotors sacou que precisa melhorar a experiência de usuário e, com uma força da Adobe, facilitou o "match" entre carros e seus novos donos. E, claro, lucrou com as melhorias de marketing. Um crescimento de 35% no volume de propostas feitas em sua plataforma.

O The BRIEF conversou com o head de Marketing da Webmotors, Rafael Constantinou e ele explica que o principal benefício desse investimento foi conhecer a jornada do usuário no site, já que a empresa ainda mantém nove sites regionais.

Conseguimos compreender os tipos de navegação diferentes, entender essa audiência para entregar uma experiência contextualizada para as diferentes regiões do país.

A Webmotors revisitou seu modelo de negócios e apostou alto na inteligência de marketing a partir de soluções tecnológicas. A primeira mudança aconteceu no fim de 2015, com a adesão a uma ferramenta que coleta, organiza, analisa e reporta os dados dos usuários no site e nos apps de uma empresa.

Investimento em mídia

O segundo passo foi a automatização da compra de mídia. O que permitiu tomadas de decisão mais rápidas e precisas, afirma Constantinou. A empresa, que gasta mais da metade do seu investimento em busca paga, viu o custo de aquisição de audiência cair pela metade.

De acordo com Douglas Montalvao, diretor de soluções da Adobe para a América Latina,o desafio de um cliente como a Webmotors está em seu modelo de negócios 100% digital. Ou seja,

A jornada do cliente, toda a tomada de decisão é online. Por isso, essa transição da Webmotors para um negócio de experiência é crucial.

Douglas conta que o primeiro passo foi aproveitar ferramentas para retirar mais informações dos dados que o cliente compartilhava. Esse processo fez com que o time da Webmotors mudasse algumas visões. Curtir modelos SUV não quer dizer que você não tem olhos para os mais compactos, por exemplo.

A ideia de criar uma plataforma diferente para cada um dos usuários também fez parte dessa transição, comenta Montalvao.

No final do dia, a explicação que damos é que essa experiência pode ser computada. E ter um experience business paga a conta.

Curtiu o texto? Saiba que isso é só um gostinho do que é publicado diariamente na newsletter do The BRIEF, que traz as principais notícias do mercado de tecnologia pra você, todas as manhãs. É serious, é business, mas com um jeitão bem descontraído (#mozão). Para assinar, é só clicar ali -> aqui