Os próximos leilões para a frequência de internet móvel 5G não devem atrair novas operadoras para o Brasil, segundo afirmam especialistas ouvidos pelo MobileTime durante o evento Futurecom, que começou ontem (15) em São Paulo. Isso significa que Vivo, Claro, Oi, TIM e Nextel não deverão contar com mais concorrência para as bandas 5G.

A Anatel deverá alocar a internet 5G para as faixas de espectro 1,5 GHz; 2,3 GHz; 3,5 GHz; 26 GHz; e 40 GHz

De acordo com o presidente do Teleco, Eduardo Tude, a competição entre as empresas já é acirrada, e um novo player de mercado poderia surgir para soluções específicas de Internet das Coisas (IoT), não no que toca à internet móvel. Ainda, Arivaldo Lopes, analista da Ovum, complementa que os leilões terão caráter arrecadatório, haja vista a situação de déficit fiscal enfrentada pelo governo do Brasil.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deverá alocar a internet 5G para as faixas de espectro 1,5 GHz; 2,3 GHz; 3,5 GHz; 26 GHz; e 40 GHz. Inicialmente, as operadoras interessadas poderão lançar redes exclusivas; contudo, como há uma pressão grande por redução de custos, as companhias deverão optar pelo compartilhamento de infraestrutura.

Novas operadoras não devem surgir em leilão de internet móvel 5G via TecMundo