Até 2017, a startup Calm — dona do aplicativo homônimo — contava com nove pessoas espremidas em um escritório tentando emplacar um aplicativo de meditação. A situação no HQ era tão apertada que o time precisava realizar suas reuniões com terceiros no hotel que ficava do outro lado da rua. Corta para 2019. Temos uma startup avaliada em USD 1 bilhão, que recebeu USD 88 milhões em sua última rodada de investimento.

Muita coisa aconteceu entre o ponto A e o ponto B. Seria leviano dizer, de fora, que uma sacada mudou tudo. No entanto, como explica o CEO Michael Acton Smith, um insight contribuiu bastante para a transformação da startup. Fazendo uma análise dos dados, a empresa notou um pico de acesso no aplicativo a partir das 23h. O palpite era que as pessoas utilizavam músicas e mantras como uma ajuda para dormir, mesmo não sendo esse o foco principal da solução. Vendo essa oportunidade, direcionaram recursos para melhorar a concentração e o relaxamento dentro do app e, assim, combater o estresse e insônia.

Um dos serviços que surgiram dessa nova fase foi o Sleep Stories: um catálogo de histórias com a intenção de proporcionar sono ao ouvinte. Sim, senhoras e senhores, os caras reinventaram os contos de ninar. Com narração de celebridades, do tipo Matthew McConaughey (quase escrevemos sem usar o Google), o serviço já teve mais de 120 milhões de plays.

Depois de ouvir essa história, é natural pensar que seria o caso de a empresa expandir seus recursos para análise de dados, não é mesmo? Sim, mas apenas em partes. Smith revela que, de fato, a empresa ampliou o time, mas faz questão de dizer que a Calm não é uma empresa “data driven”, e sim “data informed”. O que significa que a marca de saúde tenta conciliar informações com aqueles “insights criativos peculiares de tarde da noite” para que a mágica aconteça.

Para o cofundador da startup, a lição que fica é o poder da simplicidade. “No fim do dia, há poucas coisas mais poderosas e humanas que uma história”. Ou, em outras palavras, que a habilidade de extrair boas ideias dos dados é tão ou mais importante do que sair por aí mensurando tudo. Acredite, não é conversa para boi dormir.

Muita calma nessa hora! Como a Calm acelerou seu sucesso com o uso de dados via The Brief