Novidades no escritório

Principal expoente do mercado de fintechs e um dos principais responsáveis pela criação da entidade chamada fanboy de banco, o Nubank apresentou ontem um novo produto voltado para o mundo corporativo. Estamos falando da  Conta PJ, um serviço que irá oferecer as mesmas comodidades que a NuConta, mas para fins comerciais. Antes que as empresas de grande porte se animem a procurar o serviço, é importante falar que sua versão atual é voltada para quem está numa etapa anterior da vida corporativa. Em entrevista para o Estadão (paywall), a cofundadora e vice-presidente Cristina Junqueira explicou que o serviço, pelo menos agora, é voltado para micro e pequenas empresas com um único dono.

Tudo igual, ou quase

E o que os grandes pequenos empresários podem esperar desse novo serviço? De início, algo bem similar ao que já existe na NuConta para pessoa física. A conta corrente corporativa vai permitir serviços como transferências de valores entre bancos, pagamento de contas e os famosos depósitos via boletos. De acordo com a matéria do Estadão, o cartão de débito  deve sair até o final deste 2019. E o que ainda não sabemos? Se as taxas de juros cobradas pela roxinha serão as mesmas que as praticadas para os seres mortais, que podem chegar a 15% nos casos de atraso. Mas não deve demorar muito para que essa info dê o ar da graça.

Pesquisar para diferenciar

Comparando com os serviços oferecidos pelos concorrentes como Neon, Inter e Original, a carteira básica de serviços não muda muito. É bem provável que, por conta desse fator, o BancoNu tenha optado por iniciar a função jurídica com um grupo bem reduzido de contas e num formato de teste. Os cerca de 10 mil primeiros clientes da Conta PJ serão pessoas que já possuem cadastro com a fintech e, de acordo com o comunicado, terão um acompanhamento mais próximo da equipe responsável por gerenciar esse novo serviço. Com as infos, a gente acredita que a firma vai pensar no que pode oferecer de diferencial para atrair mais contas e pessoas. E dinheiros, claro.

Quem quer ser um beta tester?

Para quem é pessoa jurídica, já possui uma conta arroxeada e deseja se candidatar na fase atual, precisa acessar essa página, preencher os dados e contar com a sorte. Isso porque a companhia já divulgou que meio milhão de clientes já se encaixam nessa base, então o momento de agora é meio que um “salve-se quem puder” versão cadastro.  Já no quesito potencial do serviço, não vai ser necessário nenhum pedido aos céus para angariar clientela. Com cerca de 20 milhões de pessoas jurídicas no Brasil, de acordo com a Receita Federal, a gente já ouviu de muito PJ que os serviços bancários muitas vezes não são tão bons como os das pessoas físicas. Eu ouvi concorrência acirrada?

Gravata purpura via The Brief