The roast of Elon Musk #SQN

O palco estava montado para fritar Elon Musk durante sua reunião anual com investidores da Tesla. Para sentir o clima do início do evento, saca só o comentário feito por Steve Diamond, do CTW Investment Group, sobre a permanência de Antonio Garcias (diretor independente), James Murdoch (CEO da Twenty-Century Fox) e Kimbal Musk (irmão) no conselho da empresa: “não acreditamos que esses indivíduos sejam confiáveis e independentes. A falta de experiência relevante no mercado automotivo e no gerenciamento de recursos humanos são só as deficiências mais óbvias deles.” A barra tinha tudo para ficar bem pesada.

Ops, he did it again

Mas, aí o cofundador e CEO da companhia mostrou mais que charme e revelou o que todo mundo queria: números positivos. A empresa pretende ampliar a produção semanal do Model 3, atualmente em 3.500 unidades, para 5.000 até o fim de junho. O que significa que há uma chance do carango finalmente estacionar na garagem dos clientes, que o esperam há 2 anos. Lembra da votação? Todos os jovens citados acima foram reeleitos com sucesso. Para aliviar a pressão com os fundos de investimento, Musk ainda confirmou que a empresa não vai precisar de mais dinheiro e pode até fechar os próximos quarters no azul. Elinho desviou dos ataques Matrix-style.

“Tenho um problema com tempo”

Nem tudo são flores, já que a companhia ainda precisa entregar 450 mil carros que já estão reservados. No entanto, pelo tom das perguntas feitas após o fim da apresentação, o moço Musk conquistou todo mundo novamente. Uma das perguntas mais espinhosas falava sobre o atraso da produção e foi respondida pelo bilionário com uma rápida digressão ao passado e uma mea culpa: “estou tentando melhorar, sou uma pessoa otimista. Vamos tentar calibrar essas estimativas”.

Shanghai surprise

Além das melhorias na produção, a Tesla também antecipou que deve inaugurar uma GigaFactory na China até o fim do ano. Com sede em Shangai, a nova planta para fabricação de carros elétricos terá o máximo em tecnologia e inovação na área. Seja lá o que isso quer dizer. E não é que a reunião terminou com ares de Comic-Con? Aplausos a cada resposta, pedidos de emprego e clientes querendo saber se o Model 3 chega a tempo daquela “roadtrip” planejada para setembro.

As perguntas que ninguém fez

O The BRIEF tem a coragem de perguntar algumas coisinhas que faltaram: cadê status sobre a situação de Steve Jurvetson, o membro do board acusado de assédio e afastado há meses? É real que a Tesla anda gastando uma baita dinheirama e desperdiçando matéria-prima na produção do tal modelo da discórdia 3? Qual a contribuição que um executivo do mercado de comida sustentável pode dar para a companhia, além de ser irmão do fundador? E, acima de tudo: Elon, você pode autografar meu lança-chamas?