Bug do bilhão

Depois de mais de uma década reinando absoluta na China, a Tencent surpreendeu seus investidores. Não por um bom motivo. Registrou uma queda de 2% nos lucros em relação ao ano passado (e de 23% versus o trimestre anterior). E essa nem é a pior notícia, já que a companhia perdeu USD 160 bilhões em valor de mercado somente de janeiro para cá. Tipo, quase o market cap da Disney. A provedora de serviços de internet disputa com o Alibaba o posto de marca mais valiosa da terra do panda. Seu valuation ainda está na casa dos USD 392 bi. Mas, o que justifica um escorregão contábil desses? Observando a numerária mais de perto, vemos que a empresa perdeu 19% em sua arrecadação com mobile gaming no primeiro quarter. E esse é exatamente o “X” da questão.

Redes sociais, como WeChat, e jogos online (PUBG, Arena of Valor e outros) resumem boa parte dos negócios da chinesa. Foi nesses dois pontos que a coisa deu uma desandada nos últimos tempos. A gente explica em 3 atos. Cola na muralha, pega seu avatar e bora entender.

Ato #01 — O cenário

A máquina de imprimir dinheiro engasgou. Grosso modo, a Tencent encontrou um atalho para os lucros: criar conteúdo para atrair e manter seus usuários no WeChat. O aplicativo é o mais relevante no continente asiático e começou como um comunicador, mas hoje é uma espécie de faz tudo. Tudo mesmo, desde serviços municipais a pagamentos, passando por mandar emojis para as pessoas. Para se ter uma ideia, o app tem mais de 1 bilhão de usuários ativos mensais. Com base nessa galera, a empresa vende itens para jogos, presta serviços e lucra com anúncios.

Ato #02 — O problema

A burocracia chinesa deu uma bela rasteira na Tencent. Isso porque a gigante tech licencia games online massivos (os chamados MOBA) e enche o bolso assim. Só que, em março, uma mudança na lei colocou mais de 3 mil joguinhos em hold por lá. O que significa que os títulos podem até ser lançados, mas não serão monetizados enquanto não houver uma aprovação oficial do governo. Ou seja, a big T está perdendo muito dinheiro em compras in-app. A situação é tão curiosa que PUBG — uma de suas propriedades — figura entre os aplicativos mais baixados na terra do panda, mas num pode fazer nenhuma moeda com isso.

Interlúdio — O caso Monster Hunter: World

Outra decisão recente pegou a Tencent desprevenida. O game Monster Hunter: World, lançado por meio da plataforma WeGame, do WeChat, foi proibido na China. A decisão aconteceu poucos dias após o seu lançamento. Segundo a empresa, as autoridades reguladoras exigiram alterações no conteúdo, que não foram divulgadas, aliás. Mas achamos pode ter algo a ver com os valores do regime chinês. Detalhe: com foco em campanhas colaborativas online, “Caçadores de monstro: mundão” é um baita sucesso no resto do planeta. Só na pré-venda, foram mais de 1 milhão de unidades vendidas. O que nos leva ao próximo capítulo da história.

Ato #03 — A ameaça

As big tech andam batalhando para garantir que os usuários se mantenham atraídos por joguinhos. Afinal de contas, distração é o que não falta no mundo dos espertofones, não é mesmo? Com a situação meio “nova” de que os dias têm apenas 24 horas, a Tencent anda perdendo minutos preciosos de consumo em seus produtos para o Douyin, app de streaming de vídeos curtos. Lançada em 2016, a plataforma acumula alguns números impressionantes. Depois de um ano de sua estreia, já acumulava 100 milhões de usuários, com mais de 1 bilhão de vídeos assistidos a cada dia. Tudo isso porque conquistou os jovens (a maior parte dos users tem menos de 24 anos) com recursos poderosos de edição: dá para adicionar musiquinha e efeitos aos vídeos. Ah, e a parada foi desenvolvida em 200 dias, por um time de oito pessoas. Ok? Ok.

Epílogo

Para resolver o caso, a Tencent está alocando capital no que ela chama de “projetos de alta prioridade”. Um deles é melhorar a comunicação com o governo. Seems legit. Outro é na transmissão de partidas online, ao melhor estilo “se não pode com eles…”. Por fim, anunciou a fusão de seus serviços de pagamentos para lojas online e offline. Afinal, omnichannel é o futuro. Como uma nota positiva, podemos dizer que o investimento recente fez com que a empresa registrasse melhorias em sua receita de cloud services e payments. Vai ver, a melhor jogada para a Tencent esteja por aí.