Em um mundo em que a depressão afeta mais de 15 milhões de adultos somente nos Estados Unidos (superando a marca dos 300 milhões em todo o mundo), buscar alternativas para o tratamento da doença deveria ser uma prioridade global. E essa é a proposta da Revolutioner, uma nova startup que pretende combater o transtorno depressivo em pacientes utilizando sons.

De acordo com a empresa, estudos revelaram que uma das principais causas que reduzem o humor desses pacientes, prejudicando sua performance mental e afetando o bom andamento de suas atividades diárias, é um desequilíbrio entre ondas cerebrais do lado direito e esquerdo do cérebro. Com essa informação em mente, a startup está desenvolvendo um sistema de ondas sonoras que pode restabelecer esse equilíbrio, trazendo mais qualidade de vida a esses pacientes sem a necessidade de ingerir medicamentos. 

A Revolutioner pretende não somente ajudar no tratamento de pacientes com depressão, como revolucionar a maneira que a tecnologia pode melhorar nosso estado mental, encorajando o organismo a produzir mais hormônios para atingir o equilíbrio cerebral necessário. Para isso, bastaria escutar uma curta gravação diariamente. 

Como a tecnologia funciona

Segundo a Revolutioner, uma quantidade desproporcional de ondas de um lado do cérebro causa humores negativos e dificuldade em manter o foco, enquanto do outro lado, a consequência é estresse e insônia. Ao estabilizar essas ondas, o indivíduo fica mais calmo, focado e emocionalmente estável, já que estará produzindo mais serotonina - o "hormônio da felicidade".

A tecnologia funciona simulando essas ondas cerebrais por meio de pequenos impulsos direcionados aos neurônios, utilizando ondas sonoras inaudíveis para atingir esse objetivo - o que é bem diferente da musicoterapia, que emprega músicas para tratar problemas psíquicos ou psicossomáticos.

No entanto, apesar de a proposta ser bastante válida e interessante, especialistas em saúde mental não recomendam o uso de terapias alternativas para substituir o tratamento convencional para transtornos mentais, como o uso de medicamentos e a boa e velha terapia. A depressão é uma doença debilitante que afeta 4,4% da população mundial, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), prejudicando 5,8% dos brasileiros.