Hoje, no Brasil, mais de 13,5 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência física. Além disso, muitos também sofrem por causa da capacidade de mobilidade reduzida, como os idosos ou aqueles que estão acidentados. Pensando nisso, Francisco Viniegra resolveu criar uma solução inteligente e inovadora para facilitar a vida desses cidadãos.

Arquiteto urbanista com 16 anos de experiência em projetos e obras de infraestrutura e mobilidade urbana no Rio de Janeiro, Chico, como é conhecido, resolveu aplicar a sua solução na capital carioca. Fundador da startup Livrit, ele pretende mudar o cotidiano dos cidadãos promovendo uma melhor qualidade de vida para aqueles que enfrentam dificuldade para ir e vir dentro do perímetro da cidade.

Abrindo caminho pelas cidades

“Queremos tornar a cidade do Rio Janeiro mais democrática e transformar a realidade de locomoção dessas pessoas, pois acreditamos que uma cidade inteligente precisa beneficiar a todos”, disse Chico. A Livrit desenvolveu uma plataforma colaborativa de mapeamento e navegação para ajudar aqueles com necessidades especiais, informando as rotas ideais levando em consideração o nível de acessibilidade das calçadas e estabelecimentos.

Em um primeiro momento, o foco da startup vai ser mapear a zona portuária (Porto Maravilha) e os principais pontos de acesso na cidade do Rio de Janeiro até a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. “Não há nenhuma outra empresa atuando com este foco de mapeamento direcionado à acessibilidade. Por isso, acreditamos que o conceito de big data e a plataforma 'Internet de Todas as Coisas' (IoE) podem também nos beneficiar".

A origem da startup

Com o objetivo de abrir seu próprio negócio na área de construção civil, Chico consultou o Sebrae – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – do Rio de Janeiro. Durante a programação da Startup Weekend em Cabo Frio, em maio de 2015, apoiado pelo programa de empreendedorismo da instituição, ele teve a ideia de contribuir para a vida das pessoas com a ajuda da tecnologia e criou o conceito do Livrit.

Através da interação com a comunidade, esse aplicativo para dispositivos móveis vai fornecer mapeamento atualizado das condições de acessibilidade das calçadas de uma determinada região. São os próprios usuários que vão atualizar e adicionar novas informações, contribuindo para a construção de uma cidade mais humana, inteligente e acessível.

Desafio Cisco de Inovação Urbana

A Livrit é uma das cinco startups vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana, programa que visa selecionar empresas que ofereçam soluções inovadoras e inteligentes que estejam comprometidas a melhorar a qualidade de vida na cidade do Rio de Janeiro.

Essas startups foram selecionadas entre 15 finalistas e estão participando de um programa de aceleração profissional apoiado pelo Centro de Inovação da Cisco, no Rio de Janeiro. O objetivo é que as cinco soluções sejam implementadas no Porto Maravilha nos próximos meses.

“O objetivo do Desafio foi incentivar o ecossistema de inovação e o desenvolvimento de aplicações de software digital em cima da plataforma urbana conectada que a Cisco está implementando no Porto Maravilha. O que os finalistas do Desafio Cisco nos mostraram foram propostas que procuram formas diferentes, criativas e inovadoras de resolver problemas do cotidiano de cidades grandes, como a mobilidade, a gestão de serviços públicos, a melhoria dos transportes públicos e das telecomunicações”, afirma Nina Lualdi, diretora sênior de Inovação para América Latina da Cisco.

O Desafio faz parte da iniciativa da Cisco de Inovação Urbana no Porto Maravilha, um dos projetos da empresa para contribuir para a construção de um legado duradouro para a transformação da cidade do Rio de Janeiro. Através de ações dos setores público e privado, o Porto Maravilha será um modelo de bairro inteligente, com zonas residencial e comercial, rede de transporte público e infraestrutura de telecomunicações eficientes.

A visão da Cisco, alinhada com a Prefeitura do Rio de Janeiro, é tornar a área do Porto Maravilha um exemplo único de um "Bairro Mais Inteligente e Mais Humano", através de uma plataforma interligada e serviços inteligentes. Assim, cidadãos e visitantes poderão se conectar não somente entre si, mas também com a cidade e com o Governo.

Você acredita que é possível criarmos uma cidade verdadeiramente humana através da tecnologia? Comente no Fórum do TecMundo!

Este publieditorial foi patrocinado pelo Desafio Cisco de Inovação Urbana.